Coisas Legais




















Wallpaper - outubro 2017






















Segredos Reais

As primas escondidas da rainha: Elas foram banidas a um asilo em 1941 e foram negligenciadas. Agora um documentário intrigante revela tudo.


A data era 29 de julho de 1981, o dia do casamento do Príncipe Charles e Lady Di, e quando a Rainha chegou na Catedral de São Paulo e acenou para a multidão, duas mulheres no meio da idade média tardia, em vestidos sem forma e abafados, embaralhadas com uma marcha desajeitada acenaram e saudaram de volta para ela, incapazes de articular a fala, mas fazendo ruídos excitados.
Foi um momento pungente, lembra Onelle Braithwaite, uma das enfermeiras que cuidou delas. "Lembro-me de ponderar com o meu colega como, que se as coisas fossem diferentes, elas certamente teriam sido convidadas no casamento".
Nerissa

Katherine
As duas mulheres eram Nerissa e Katherine Bowes-Lyon - sobrinhas da Rainha Mãe e primas da Rainha - que haviam sido encarceradas desde 1941 no Royal Earlswood Asylum for Mental Defectives, em Redhill, Surrey.
Os últimos visitantes relatados foram na década de 1960 e, embora fosse um segredo aberto no Royal Earlswood, e na comunidade local, que o asilo alojava parentes próximos da Família Real, para o mundo mais amplo, sua existência havia sido destruída.
Burke's Peerage declarou que ambas estavam mortas, com informações erradas fornecidas pela família. Na verdade, Nerissa não morreu até 1986, com 66 anos, e Katherine, segundo informaçãoes ainda estaria viva; até os 85 anos, falecendo aos 87 e hoje se viva, ela teria a mesma idade que a rainha.
Suas histórias chocantes surgiram logo após a morte de Nerissa, quando os jornalistas descobriram que foi enterrada em um túmulo marcado apenas por uma etiqueta de nome de plástico e um número de série.
O escândalo que se seguiu, que provocou uma fonte anônima para fornecer uma lápide para Nerissa, o que fez pouca diferença na vida de sua irmã. Katherine não recebeu visitantes no asilo e, velhice pobre, ela não possuía nem sua própria lingerie, pelo menos até os últimos anos, e tinha que vestir-se de um guarda roupa comunitário do asilo.
Um documentário do Channel 4 contou a história das primas escondidas da rainha, nascidas em uma época em que crianças com dificuldades de aprendizagem eram o segredo vergonhoso de uma família. As fotografias de Katherine Bowes-Lyon mostram uma semelhança distinta com a Rainha, e Onelle Braithwaite diz que a história das irmãs era de conhecimento comum quando chegou ao asilo como uma enfermeira de 20 anos em meados da década de 1970.
"Se a Rainha ou a Rainha Mãe aparecessem na televisão, elas demonstravam reconhece-las. Obviamente, havia algum tipo de memória. E era triste de ver. Basta pensar na vida que poderiam ter tido. Eram duas lindas irmãs. Elas não tinham qualquer discurso senão apontar e fazer ruídos, e quando você as conhecia, você poderia entender o que eles estavam tentando dizer. Hoje elas provavelmente receberiam terapia de fala e elas se comunicariam muito melhor. Eles entenderiam mais do que você pensaria.
A ex-freira Dot Penfold, agora aposentada da enfermagem, também tem boas lembranças. “Elas não eram um problema para cuidar, mas eram maliciosas, como crianças impertinentes”. Katherine era uma bola de fúria. Você poderia gritar com ela e ela iria dar ouvidos surdos.
Rainha Mãe, seu irmão John e a lápide do mesmo.

Lápide de Fenella

Fenella quando jovem

Katherine, aos 85, ainda estava viva e acreditava-se que estivesse morando em uma casa de cuidados em Surrey. Nerissa nasceu em 1919 e Katherine em 1926. Seu pai era John Herbert Bowes-Lyon, um dos irmãos mais velhos da Rainha Mãe e filho do conde de Strathmore. John morreu em 1930 e em 1966 a mãe das meninas, Fenella Hepburn-Stuart-Forbes-Trefusis.
As irmãs foram infelizes de terem nascido em uma era em que a deficiência mental era vista como uma ameaça para a sociedade e ligada à promiscuidade, à criação sem fadiga e ao pequeno crime, as características da subclasse; associações encorajadas pela crença popular na ciência da eugenia, que logo seriam abraçadas pelos nazistas.
"Então, a crença era que se você tivesse uma criança com deficiência de aprendizado, havia alguma coisa em sua família suspeita e errada", explica Jan Walmsley, professor da Universidade Aberta na história das dificuldades de aprendizagem.

Para os Bowes-Lyons, este era um estigma que poderia ameaçar sua posição social e manchar as perspectivas conjugais de seus outros filhos. (a bela e saudável irmã das meninas, Anne, se tornou uma princesa da Dinamarca pelo seu segundo casamento, pelo seu primeiro casamento, ela era a vizcondessa e mãe do fotógrafo da sociedade, o falecido Lord Lichfield.)

O imponente Royal Earlswood foi o primeiro asilo criado pelo propósito para pessoas com dificuldades de aprendizagem. Nerissa e Katherine tinham 15 e 22, respectivamente, quando foram admitidas. Os registros médicos de Nerissa classificam-a como "imbecil". "Ela faz barulhos ininteligíveis o tempo todo", afirmou um médico. "Muito afetuosa... pode dizer algumas palavras gentis".
Judy Wilkinson, de 67 anos, de Godalming, Surrey, recorda sua apreensão ao visitar o Royal Earlswood como uma jovem na década de 1950, quando sua irmã mais velha, Nicola, que tinha dano cerebral no nascimento, foi consignada lá. "Eu tinha sentimento de medo", Judy explica, e ela se lembra de se sentir intrigada de que sua irmã sempre usasse o mesmo casaco verde, o que nunca parecia desgastar.
Agora ela percebeu que os internos usavam suas próprias roupas apenas se tivessem visitantes. Mas para Nerissa e Katherine, havia poucas pessoas as visitando. "Nunca vi ninguém vir", diz Dot Penfold. "A impressão que tive foi que elas haviam sido esquecidas".

A partir do final da década de 1960, uma onda de escândalos expôs condições em instituições que estavam gravemente insuficientes e superlotadas. O Royal Earlswood foi fechado em 1997; pelo menos uma ex-enfermeira alegou que os pacientes foram abusados. O edifício grandioso já foi convertido em apartamentos de luxo.






"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui. Hoje não mais.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.